Informações e Novidades
.....

22.FEV

O que fazer com o FGTS e como investir

O que fazer com o FGTS e como investir

A ideia principal do governo ao liberar o dinheiro das contas inativas do FGTS é, sem sombra de dúvidas, incentivar o consumo e fazer com que a economia possa ter um alento maior, voltando a crescer. Não deixe de sacar seus recursos, mesmo que não tenha dívidas a pagar. É possível fazer seu dinheiro render mais.

 

Como consultar e resgatar seu saldo do FGTS

Com as mudanças anunciadas pelo governo, a partir do dia 10 de março os brasileiros poderão sacar todo o dinheiro disponível em suas contas do FGTS que já estavam inativas no dia 31/12/2015, ou seja, das contas que correspondem a empregos dos quais você se desligou até essa data. Você não vai poder sacar o FGTS da conta da sua empresa atual, nem de empresas que você tenha se desligado a partir de 2016.

 

Para consultar seu saldo tenha em mãos seu número de identificação social (PIS/Pasep), que você encontra na sua carteira de trabalho. Clique em Consulte suas contas inativas e siga as instruções. Você pode fazer a consulta online pelo site da Caixa ou pelo aplicativo do FGTS.

Os recursos serão pagos entre março e julho, de acordo com o calendário estipulado pelo governo. Saiba quando você poderá ir até uma agência da Caixa Econômica Federal sacar seus recursos olhando a tabela. Se você perder o prazo determinado para o seu aniversário, sem problemas: você ainda pode solicitar o saque até o mês de julho.

 

O que fazer com o saldo?

 

Saque todo o dinheiro que você tem nas contas inativas. Se você tem mais de uma conta, é possível fazer o saque de todas. O Governo não deu um limite para isso.

 

Em primeiro lugar, é preciso quitar todas as suas dívidas. Os juros podem ser altos e a dívida vai crescer ainda mais com o tempo. Se você não tem nenhuma conta a pagar ou se sobrou algum dinheiro depois de pagar as dívidas, é nesse momento que você deve começar a investir e pensar mais no seu futuro.

 

Como faço para investir?

 

Não coloque seu dinheiro na poupança. Ela rende pouco mais que as contas inativas do FGTS. Existem alternativas de baixo risco que te darão um retorno muito melhor do que a poupança e em menor tempo. Uma delas é fazer um investimento com a Investtop.

 

Dos investidores que possuem objetivos de curto e médio prazo, vale a pena ficar de olho nas seguintes alternativas:

  • CDBs de bancos médios e pequenos;

  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI);

  • Letras do Agronegócio (LCA);

  • Letras de Câmbio (LC).

As remunerações destes ativos superam a poupança, além de possuírem a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Para quem não sabe, o FGC garante até R$250 mil por CPF, por instituição financeira em caso de insolvência da instituição emissora do ativo.

Entenda como funciona o FGTS

 

É importante saber como o FGTS funciona para você entender porque não deve colocar seu dinheiro na poupança.

 

Suponha que você seja funcionário da empresa A e tenha a carteira de trabalho assinada. A cada mês a empresa obrigatoriamente deposita no Fundo de Garantia o equivalente a 8% do seu salário. Se você ganha R$ 10 mil, ela deposita R$ 800. Esse dinheiro é administrado pela Caixa Econômica Federal e investido em projetos de infraestrutura e financiamento da casa própria.

 

Os investimentos que a Caixa faz rendem juros, gerando retorno para o governo. Mas você não se beneficia desse retorno. O seu FGTS cresce a uma taxa anual igual a 3% somado à Taxa Referencial (taxa de juros definida pelo próprio governo).

 

A Taxa Referencial é e sempre foi bem baixa. Nesse momento ela está em torno de 2%. Por isso os 5% (3% + TR) que o FGTS rendeu em 2016. O governo embolsa a diferença entre esse rendimento de 3% + TR que ele paga para você e os rendimentos que a Caixa obteve investindo o seu dinheiro.

 

Esse é um péssimo negócio para você. Por exemplo, se a Caixa consegue um retorno de 10%, o FGTS paga 5% para você e o governo fica com os outro 5%. Você está perdendo dinheiro. O governo usa o seu dinheiro, rende mais e depois te devolve só metade do que rendeu.

 

Se algum dia você trocar de emprego e for trabalhar na empresa B, ela então abre uma nova conta para o depósito do FGTS. Enquanto isso, o dinheiro que tinha sido depositado pela empresa A continua na conta anterior. Você passa a partir daí a ter duas contas: uma aberta pela empresa A e outra pela empresa B, ambas rendendo somente 3% + TR.

 

É por esse motivo que existem mais contas inativas do que trabalhadores no mercado. A cada emprego novo, uma nova conta é aberta. São cerca de 18 milhões de contas inativas que pertencem a apenas 10 milhões de trabalhadores.

 

De acordo com o Governo, o rendimento do FGTS vai aumentar com a nova regra que entrará em vigor. O rendimento será de 5% + TR e 6% + TR. Essa porcentagem é próxima a da poupança. Existem investimentos melhores do que esse.


Se você tem alguma dúvida e quer começar a investir, fale com um de nossos agentes.

Compartilhe nas redes sociais: